A CIDADE PERDIDA DOS INCAS
 Machu Picchu evoca todas as fantasias sobre uma América soberana, indígena, mágica. Tudo isso pode ter uma parcela de verdade. Mas antes de chegarmos lá temos que, ou caminhar pela antiga Trilha dos Incas, ou pegar um trem para turistas em Cuzco. Aí valem as dicas que se seguem. Já, já chegaremos à cidade perdida dos Incas.
 Trem para Machu Picchu

À direita, vista de
ruínas no caminho >

Rio Urubamba,
no Vale Sagrado.

 O trem de Cuzco para Águas Calientes, ponto final para Machu Picchu, sai em torno de 57 dólares por pessoa. Não é permitido a turistas usar o trem local, dos moradores. Não me perguntem se é legal ou não, mas isso não parece ter importância. Uma maneira de fazer esta viagem mais econômica é ir de minibus (van) até Ollantaytambo, pagando somente 5 soles (algo em torno de 4 reais) e dali pegar o trem, pagando cerca de 12 dólares (pernoitando em Ollantaytambo e aproveitando para ver as magníficas ruínas deste lugar). Só se pode chegar até Águas Calientes de trem, ou a pé, pela trilha inca. Mas não pense que ir a pé sai mais barato! Não, a trilha até Machu Picchu, com guia, hospedagem em albergues, etc., não sai por menos de 100 dólares (incluindo o ingresso)! Isso mesmo. Não é possível fazer a trilha como nos velhos tempos. Tem que pagar. Uma companhia inglesa, que administra os trens e o governo peruano fizeram uma espécie de acordo, colocando tudo em Machu Picchu a preços "internacionais". Para finalizar, o ônibus para subir de Águas Calientes à Machu Picchu custa 6 dólares e a entrada na cidade 20 dólares (cada vez que se entra tem que pagar de novo).
Águas Calientes,
praça principal e o rio
onde há banhos
termais.
 Estação de chegada do trem 
PAG. 02  |  PAG. 03  |  PAG. 04  |  INTERIORES  |  DETALHES ARQUITETÔNICOS
www.sertaodoperi.com.br